Indiferença e eleições em 2014 – Senado RJ / SERPA, M. 2014

Cid Pacheco – aniversário de 92 anos
07/09/2014
Querer “para trás”. BAHI, Vera. 2013.
27/11/2014
Show all

Romário no patamar de vitória deverá buscar votos entre os indiferentes e indecisos.

É interessante observar o quadro de intenções de votos no Rio de Janeiro para o Senado. O Instituto Gerp vem monitorando o Estado desde maio.

No início, em maio, cogitava-se várias candidaturas como as de Sergio Cabral, Wagner Montes, Jandira, Dorneles e outros. Na frente Wagner Montes (o único na faixa dos 20%), seguido por Romário (11%), Sérgio Cabral (9%) e Jandira (7%). Nos meses seguintes Cesar Maia e Lupi entram na disputa enquanto Wagner Montes, Sergio Cabral, Jandira e Dorneles se retiram.

A disputa segue até que em setembro parece que Romário consolida sua liderança na faixa dos 28%, entrando na faixa chamada de “patamar da vitória”. Cesar Maia que chegou a ter 20% das intenções de voto do carioca, caiu para o patamar de 15%. Lupi atingiu tão somente o patamar de 3%.

É importante notar que os votos dos candidatos que se retiraram da disputa migram para os indecisos/indiferentes (os declaram que não sabem, os que não respondem e os que dizem não ter no momento intenção de votar em nenhum desses que aí estão). Resultado, em setembro a metade, isso mesmo, 50% do eleitorado carioca, é de indecisos ou indiferentes (29%, NS ou NR e 21% não tem intenção de votar em nenhum dos candidatos).

Esse fenômeno é absolutamente normal nos quadros eleitorais latino-americanos: há 30 dias da eleição é comum encontrarmos elevados índices de indiferença podendo chegar a 40 ou 50%.

SENADOR RJ 2014