Propaganda e interdisciplinaridade : Parte 6 Anexo 5 Referências Bibliográficas

Propaganda e interdisciplinaridade : Parte 6 Anexo 4 Técnica
26/08/2014
Propaganda e interdisciplinaridade : Parte 6 Anexo 6 Posfacio
26/08/2014

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AAKER, David A. , MYERS, John G. Advertising management. New Jersey: Prentice Hall, 1975. 564 p.
ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Mestre Jou, 1972. 980 p. ADLER, Max K. A moderna pesquisa de mercado. São Paulo: Pioneira, 1971. 138 p.

BARRETO, Roberto Menna. Análise transacional da Propaganda. São Paulo: Summus, 1981. 305 p.

——– Criatividade em propaganda. São Paulo: Summus, 1982. 383 p.

BENN, Alec. Os 27 erros mais freqüentes na publicidade. São Paulo: Maltase, 1995 (Série negócios). 196 p.

BENNETT, Peter D. e KASSARJIAN, Harold H. O comportamento do consumidor. São Paulo: Atlas, 1980.

BERLO, David K. O processo da comunicação: introdução à teoria e à prática. São Paulo: Martins Fontes, 1991. 296 p.

BROWN, J.A.C. Técnicas de persuasão : da propaganda à lavagem cerebral. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976. 302 p.

CAMARINHA, Mário. BRAYNER, Sonia. Manual de normas técnicas de editoração: teses, monografias, artigos e papéis. Rio de Janeiro: UFRJ, 1995. 75 p.

CHALMERS, Ruy B. Merchandising: a estratégia do marketing. São Paulo: Atlas, 1971. 158 p.

CHESKIN Louis. Porque se compra. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1964.

CLUBE DE CRIAÇÃO DE SÃO PAULO. História da propaganda criativa no Brasil. São Paulo: CCSP, 1999. 134 p.

COLLEY, Russel H. DAGMAR: sistema de definição de objetivos publicitários para medir a eficiência da propaganda. São Paulo: Pioneira, ABA, 1976. 134 p.

COTRIM, Sérgio P. de Queiroz. Pesquisa de propaganda. São Paulo: Global, 1996. (Coleção contatos imediatos) 155 p.

DAKIN Tony (Ed.). Sales promotion handbook. Great Bretain: Gower Press, 1974.

DAVIDOFF, Linda L. Introdução à psicologia. São Paulo: Mc Graw-Hill do Brasil, 1983. 732 p.

DIAS, Magno Machado. O pato lógico. Rio de Janeiro: Aoutra editora, 1983.

DICHTER, Ernest. Handbook of motivation research. New York: McGrow Hill, 1964. 486 p.

DOMINGUES, Caio Aurélio. Elementos de propaganda. Rio de Janeiro: PN, 1959. 106 p.

DORIA, Francisco Antonio. DORIA, Pedro. Comunicação: dos fundamentos à internet. Rio de Janeiro: Revan, 1999. 303 p.

DURO, Jorge Alberto Zietlow. Decidir ou não decidir: o processo deci-sório. Rio de Janeiro: Qualimark, 1998. 97 p.

FARINA, Modesto. Psicodinâmica das cores em publicidades. São Paulo: Edgard Blücher, 1975. 172p.

——– Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo: Edgard Blücher, 1982. 274 p.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1999. 2128 p.

FESTINGER, Leon. Teoria da dissonância cognitiva. Rio de Janeiro: Zahar, 1975. 249p.

FLETCHER, Winston. Don’t apply laws of science to the advertising arts, marketing, Nov 9, 1995. p. 35-49.

FREUD, Sigmund. Além do princípio de prazer. Rio de Janeiro: Imago, 1998. 82 p.

GADE, Cristiane. Psicologia do consumidor e da propaganda. São Paulo: EPU, 1998. 269 p.

GIOVANNINI, Giovanni. Evolução na comunicação: do silex ao silício. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987. 374 p.

GOLEMAN, Daniel. Inteligência emocional. Rio de Janeiro: Objetiva, 1996. 375 p.

GUNDER, Mark A. A review of Scientific Advertising by Claude Hopkins. Disponível na INTER-NET via http://www.mcom.ttu. edu/hester/4316L12.html. Arquivo consultado em maio/2000.

HIGGINS, Denis. The art of writing advertising. Chicago:NTC Business Books, 1975. 125 p.

HOPKINS, Claude. Ciência da Propaganda. São Paulo: Cultrix, 1973. 125 p.

JAPIASSÚ, Hilton, MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990. 265 p.

JOANNIS, H. De l’étude de moti-vations à la création publicitaire et à la promotion des ventes. Paris: Dunod, 1965.

JONES, John Philip. Quando a propa-ganda funciona: novas provas de que a publicidade estimula as vendas. São Paulo: Globo, 1999. 268 p.

JULLIEN François. Tratado da eficácia. São Paulo: Ed. 34, 1998. 236 p.

KIRKPATRICK, Jerry. Em defesa da propaganda: argumentos a partir da razão do egoísmo ético e do capitalismo Laissez-Faire. São Pau-lo: 1977. 205 p.

KOSOVSKI, Ester (Org.). Ética na comunicação. Rio de Janeiro: Mauad, 1995.

KOTLER,Phillip.ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. São Paulo: Prentice Hall do Brasil, 1999. 527 p.

LAGNEAU, Gérard. A sociologia da publicidade. São Paulo: Cultrix: Ed. USP, 1981. 92 p.

LECKENBY, John D. Establishing Advertising as Science. Disponível na INTERNET via http:// www. utexas.edu/coc/admedium/Spring98 _Practitioner/cjg.html. Arquivo con sultado em maio/2000.

LEDUC, Robert. Propaganda: uma força a serviço da empresa. São Paulo: Atlas, 1980. 415 p.

LEVITT, Theodore. Miopia em marketing. (Coleção Harvard de Administração-1). São Paulo: Nova Cultural, 1986. p. 23-56.

LIMA, Regina Célia Montenegro de. Estratégias de informação e modelos organizacionais: o espaço da administração e da comunicação na ciência da informação. Orientadora: Nice Menezes de Figueiredo, PhD. Rio de Janeiro, 1997. 164 p. Tese. Doutorado em Comunicação. Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

LINDGREN, H.C. e BYRNE, D. Psicologia – personalidade e com-portamento social. Rio de Janeiro: LTC, 1982. 244 p.

LOIS, George, PITTS, Bill. Qual é a grande idéia? Como vencer com idéias chocantes (que vendem!). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997. 363 p.

MAHIN, John Lee. Advertising – selling the consumer. New York: The Associated Advertising Clubs of the World, 1916. 298 p.

MALICKSON, David L., NASON, John W. Advertising – how to write the kind that works: a basic guide to creating advertising for print, direct mail, radio and tv. New York: Charles Scribner ́s Sons, 1973. 233 p.

MANZO, José Maria Campos. A tragédia da propaganda no Brasil. R. Janeiro:Collector ́s,1983. 238 p.

MATTAR, Fauze N. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas, 1996.

McCANN-ERICKSON PUBLICIDADE. Técnica e prática da propaganda: princípios gerais da propaganda segundo a experiência de uma agência no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1960. 340 p.

McCARTHY, E. Jerome e PERREAUT JR, Willian D. Marketing essencial. São Paulo: Atlas, 1997. 397 p.

McCARTHY, E. Jerome. Marketing. R. de Janeiro: Campus,1982. 520p.

McLUHAN, Marshall, FIORE, Quentin. O meio são as massagens: um inventário de efeitos. Rio de Janeiro: Record, 1969. 187 p.

——– Os meios de comunicação: como extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 1971. 407 p.

MOREIRA, Julio Cesar Tavares. PASQUALE, Perrotti Pietrangelo. DUBNER, Alan Gilbert. Dicionário de termos de marketing. São Paulo: Atlas, 1996. 257 p.

MUCCHIELLI, Roger. A psicologia da publicidade e da propaganda. Rio de Janeiro: LTC, 1978. 112 p.

NIERENBERG, Gerald I. A arte do pensamento criativo. Rio de Janeiro: Record, 1983. 234 p.

OGILVY, David. Confissões de um homem de propaganda. Rio de Janeiro: Laudes, 1970. 148 p.

——– Ogilvy Inédito. São Paulo: Best Seller, 1986.

PACHECO, Cid Peres. Vitimidiação: a vítima e a mídia. Série Temas de Vitimologia. No. 1 / Rio de Janeiro: VII Simpósio Internacional de Vitimologia. World Society of Victimology/Sociedade Brasileira de Vitimologia/UFRJ, 1991.

——– Entrevista em 10 de junho de 1998. Rio de Janeiro, 1998.
——– Entrevista com o publicitário e professor da UFRJ sobre a psicologia na Propaganda. Rio de Janeiro: ECO/UFRJ, 1999

PACKARD, Vance. Nova técnica de convencer: persuasão oculta, domínio público pelo subconsciente, sugestão subliminar. São Paulo: Ibrasa, 1972. 247 p.

PENTEADO, J. R. Whitaker. A Técnica da Comunicação Humana. São Paulo: Pioneira, 1972. 332 p.

PINTO, Milton José. Comunicação e Discurso. São Paulo: Hacker, 1999.

PUBLINFORM. Comunicação: as funções da propaganda. Rio de Janeiro: Publinform, 1970. 241 p.

RABAÇA, Carlos Alberto, BARBOSA, Gustavo. Dicionário de Comunicação: Nova edição revista e atualizada. Rio de Janeiro: Campus, 2001. 792 p.

RAMOS, Ricardo e MARCONDES, Pyr. 200 anos de Propaganda no Brasil. São Paulo: Meio e Mensagem, 1995.

——– Do reclame à comunicação: pequena história da propaganda no Brasil. São Paulo: Atual, 1985. 133 p.

——– Propaganda. São Paulo: Global, 1998 (Coleção contato imediato), 93 p.

RANDAZZO, Sal. A criação de mitos na publicidade: como publicitários usam o poder do mito e do simbolismo para criar marcas de sucesso. Rio de janeiro: Rocco, 1996. 404 p.

REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 253 p. REEVES, Rosser. Reality on adverti-sing. New York: Knopf, 1968.

REIS, Lúcia Ferreira. TV fala TV. Orientadora: Éster Kosovski. Rio de Janeiro: ECO / UFRJ, 1983. Dissertação. (Mestrado em Comunicação).

REUCHLIN, Maurice. Introdução à Psicologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1979. 339 p.

RIBEIRO, Júlio. Tudo o que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar. São Paulo: Atlas, 1989. 432 p.

ROBERT, Jacques Michel. Compreender o nosso cérebro. Lisboa: Edições 70, 1982.

ROCHA, Everaldo P. Guimarães. Magia e capitalismo: um estudo antropológico da publicidade. São Paulo: Brasiliense, 1995. 162 p.

ROMAN, Kenneth, MAAS, Jane. The new how to advertise. New York: St Martins, 1976. 193 p.

——– Como fazer sua propaganda funcionar. São Paulo: Nobel, 1994. 209 p.

RUSSEL, J. Thomas, RONALD, W. Kleppner ́s advertising procedure. New Jersey: Prentice Hall, 1995. 798 p.

SAMPAIO, Rafael. Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. Rio de Janeiro: Campos, ABP, 1995. 285 p.

SANTOS, Reinaldo. Vade-mécum da comunicação. Rio de Janeiro: Destaque, 1998. 322 p.

SERPA, Marcelo H. Navarro. Perspectiva da Ética na / da Propaganda. Rio de Janeiro: ECO / Publicação da Pós Graduação da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1998.

——– A Identidade na Propaganda – uma análise do caso brasileiro. Rio de Janeiro: ECO / Publicação da Pós Graduação da ECO / UFRJ – V.4 , 1999.

——– PSICOM – A Psicologia e a formação do campo compósito e aplicativo da Propaganda. Rio de Janeiro: ECO / Trabalho apresentado para a disciplina “Comunicação e Psicanálise” ao Professor Doutor Magno Machado Dias do curso de Pós-Graduação em Comunicação Social da ECO/UFRJ. 1999.

SILVA, Aldo Xavier da. A comunicação nos negócios. Rio de Janeiro: A Casa do Livro Eldorado, 1973. 249 p.

SIMÕES, Roberto. Comunicação publicitária. S. Paulo: Atlas, 1972. 308 p.

SMITH, Adam. A riqueza das nações. São Paulo: Abril Cultural, 1983. V.1. 412 p. V.2. 347 p.

SODRÉ, Muniz. A comunicação do grotesco. Petrópolis: Vozes, 1975. 83 p. ——– A verdade seduzida. Rio de Janeiro: Codecri, 1983.

SPINALT, C. M. Técnica e psicologia da propaganda moderna. São Paulo: Exposição do Livro, 19xx. 202 p.

TOSCANI, Oliviero. A publicidade é um cadáver que nos sorri. Rio de Janeiro:

Ediouro, 1996. 187 p.

TYLER, Leona E. Testes e medidas. Rio de Janeiro: Zahar, 1981. 135 p.

UNDERHILL, Paco. Vamos às compras: a ciência do consumo. Indispensável para quem gosta de consumir. Imperdível para quem quer vender. Rio de Janeiro: Campus, 1999. 231 p.

VAZQUEZ, Adolfo Sanchez. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasi-leira, 1989.

VIEIRA, Lula. Loucuras de um publicitário: histórias divertidas do mundo da propaganda. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 1999. 214 p.

VIEIRA, Stalimir. Raciocínio criativo na publicidade : uma proposta. São Paulo: Loyola, 1999. 101 p.

WEBSTER JR. Frederick E. , WIND Yoram. O comportamento do comprador industrial. São Paulo: Atlas, 1975. 157 p.

YOUNG, James Webb. Como criar idéias. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura,1962. 48 p.

Voltar a Anexos